13 de abril de 2010

Quase 600 mil assistem a "Chico Xavier" e filme bate recorde

O filme "Chico Xavier", que estreou na sexta-feira passada, foi visto por cerca de 590 mil pessoas, segundo a distribuidora Dowtown. A cinebiografia do médium se torna, assim, a maior bilheteria da história do cinema nacional desde 1995, nos três primeiros dias de exibição. O número de espectadores de um filme na estreia costuma ser determinante para o resultado global e serve de termômetro para a indústria. O lançamento do filme, no dia 2, coincidiu com o centenário de nascimento de Chico Xavier.

Dirigido por Daniel Filho, "Chico Xavier" bateu "Se Eu Fosse Você 2" (2009), visto por cerca de 570 mil espectadores em seus três primeiros dias em cartaz. "Lula, o Filho do Brasil" (2010) fez 220 mil no fim de semana de estreia, e "Avatar" (2009) registrou mais de 800 mil.

O filme está em cartaz em 377 salas do país. Na noite de sexta, a reportagem da Folha passou por quatro cinemas da capital paulista e todos estavam com as sessões esgotadas.

"A última vez que vi lotar assim foi com 'Avatar'", disse a gerente Kátia Sousa, do Cinemark do Shopping D. Até as 21h, todas as sete sessões de "Chico Xavier", em duas salas, tinham esgotado. A outra única sessão do dia que encheu foi de "A Caixa".

No Frei Caneca Unibanco Arteplex 2 e no Cine Marabá, a mesma situação. "Sou católica e espírita, gostamos do Chico", disse a telefonista Cacilda Dias, 63, que ficou sem ingresso no Marabá. A última vez que ela esteve no cinema foi para ver "2 Filhos de Francisco" (2005). O estudante Jaime Almeida, 30, teve mais sorte. "Chico prega o amor, não fala só de religião", disse ele, que não tem religião e cujos pais são católicos, e as irmãs, evangélicas.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u716342.shtml

4 de dezembro de 2009

TJ mantém absolvição de mulher que usou carta psicografada como prova de defesa


O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ) manteve a absolvição de uma mulher que usou duas cartas psicografadas como prova de defesa. As cartas utilizadas pela dona-de-casa Iara Marques Barcelos foram psicografadas pela vítima do crime. A decisão foi da 1ª Câmara Criminal do TJ, que respondeu a recurso impetrado pela acusação e pelo Ministério Público Estadual. Iara havia sido absolvida em maio de 2006.Iara era acusada de participação no homicídio do tabelião Ercy da Silva Cardoso, ocorrido em junho de 2003. Cardoso foi morto com dois tiros na cabeça, em Itapuã. A dona-de-casa e Leandro da Rocha Almeida, caseiro da vítima, foram acusados como autores do homicídio - Iara foi apontada como a mandante do crime.

Ela mantinha um romance com o tabelião e, segundo o caseiro, o teria contratado para "dar um susto" na vítima. Leandro, que depois voltou atrás na acusação, foi condenado a 15 anos de reclusão em processo que tramitou em separado na Justiça.

A acusação entrou com recurso alegando que o primeiro veredicto foi contrário às provas apresentadas durante o julgamento. Porém, para os desembargadores, não há necessidade de um novo julgamento. "Não há elementos no processo para concluir que o julgamento foi contrário às provas dos autos", diz o despacho dos juízes.

O relator do caso, desembargador Manuel José Martinez Lucas, disse que a utilização da carta psicografada na defesa da acusada respeita o livre exercício da religião no país. "É [um direito] protegido constitucionalmente. Cada um dos jurados pode avaliar os fatos levantados no processo conforme suas convicções", defendeu Martinez.

O magistrado justificou a decisão dizendo que havia no processo apenas "resquícios" de autoria do crime pela acusada. Segundo ele, os indícios da participação de Iara eram suficientes para a denúncia, mas não para uma eventual condenação.

O presidente da 11ª Câmara Criminal, desembargador Marco Antonio Ribeiro de Oliveira, avaliou que havia provas tanto para a condenação quanto para a absolvição de Iara. "A decisão do júri, nesse sentido, não é contrária de forma nenhuma às provas constantes dos autos", justificou.

O advogado de Iara, Lúcio de Constantino, disse que já esperava a decisão. "Os documentos foram apresentados no prazo legal e não foi pedida a impugnação durante o processo", avaliou o advogado. Para Constantino, as cartas representaram um fator de desequilíbrio no julgamento. "Foram fundamentais para a minha defesa", disse.
Segundo ele, a decisão dos jurados é soberana. "Uma eventual reforma na decisão dos jurados deve ter o apoio extremamente complexo de uma prova direcionada. Nesse caso, hão houve essa prova", sustentou.

O presidente da Associação Jurídico-Espírita do Rio Grande do Sul, Marcus Vinícius Severo da Silva, lembrou que outras cartas psicografadas já serviram como prova de inocência - o caso mais notório envolveu o médium Chico Xavier. "Foi uma prova que ajudou na absolvição de um inocente", defendeu Silva.

O criminalista Nereu Lima também concorda com a decisão do TJ. "Qualquer prova, desde que seja obtida de forma lícita, deve ser aceita e levada em consideração", interpretou. Para ele, não haveria razão para anular o julgamento em razão das cartas porque a sentença não foi baseada apenas nos documentos psicografados, mas num conjunto de informações. "A consciência dos jurados é inviolável", explicou.

Outro lado

O advogado Antonio Prestes do Nascimento, que representa a família da vítima, criticou a decisão. "[A decisão] não passa de um deboche", reclamou. Na época da sentença, Nascimento apontou erros na carta para tentar desqualificar a prova. "O nome da acusada estava escrito errado", explica. Além disso, o nome do marido da acusada não era o usado pela vítima. Alcides, marido de Iara, era empregado do tabelião assassinado.

O médium Jorge José Santa Maria, que psicografou as cartas supostamente ditadas pelo tabelião Ercy da Silva Cardoso, não respondeu aos pedidos de entrevista.

http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2009/11/12/tj-mantem-absolvicao-de-mulher-que-usou-carta-psicografada-como-prova-de-defesa.jhtm

28 de novembro de 2009

Palavra final!!!!!





Fim de semestre e uma sensação boa de dever cumprido. Tomara que não seja só a sensação, rsrsrs. Falando sério agora: todos nos empenhamos muito durante todo o semestre e merecemos passar com SS. Ops! Não estou pedindo nada. Deixando a descontração um pouco de lado e falando da disciplina: Chegamos sem saber nem o que era diplomática e tipologia documental, mas depois de 4 meses de estudos árduos nos localizamos e por fim conseguimos compreender o quanto essa disciplina é importante para complementar os estudos dos futuros profissionais arquivistas. É isso aí galera, parabéns para todos nós. Ufa cansei!!!

Plano de Classificação: Fundo Juscelino da Luz


Fundo Juscelino da Luz

Premonições
100- Cartas premonitórias

Comprovar envio de cartas premonitórias
200- Comprovante de pagamento de envio de correspondêcia

Comprovar recebimento de carta premonitória pelo destinatário 300- Aviso de Recebimento (AR)

Comprovar que as premonições se concretizaram
400- Notícia jornalística

27 de novembro de 2009

Análise do Comprovante de Pagamento de Envio de Correspondência de Carta para a TAM


FUNDO: Juscelino da Luz
ESPÉCIE: Comprovante
DENOMINAÇÃO: Comprovante de pagamento
DEFINIÇÃO: Documento em forma de tiket emitido por uma instituição a um num cliente comprovando a prestação e o pagamento de um serviço.
CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO: 200
CLASSE: Textual
SUPORTE: Papel
FORMATO: Folha avulsa
FORMA: Original
PRODUTOR: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos
DESTINATÁRIO: Juscelino da Luz
TRÂMITE:
- Solicitação do serviço pelo cliente
- Recolhimento dos dados do cliente
- Pagamento do serviço
- Emissão do comprovante de pagamento.
DOCUMENTOS BÁSICOS QUE COMPÕEM O EXPEDIENTE: Comprovante de pagamento
ORDENAÇÃO: Cronológica
CONTEÚDO:
-PESSOAS: Juscelino Nobrega da Luz, Empresa de Correios e Telégrafos
-LUGARES: Águas de Lindóia – SP
-ASSUNTO: Comprovante de pagamento de envio de correspondência
-DATAS:
* Tópicas: Águas de Lindóia – São Paulo
* Cronológica: 23 de setembro de 2006
SINAIS DE VALIDAÇÃO: --
ELIMINAÇÃO: Guarda permanente
ACESSO: Aberto.

Análise do Aviso de Recebimento da Carta 001 - 23/10/2006


FUNDO: Juscelino da Luz
ESPÉCIE: Aviso
DENOMINAÇÃO: Aviso de recebimento
DEFINIÇÃO: Documento que permite comprovar ao remetente para quem foi entregue o objeto por ele postado e a data de seu recebimento
CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO: 300
CLASSE: Textual
SUPORTE: Papel
FORMATO: Folha avulsa (114x 186 mm)
FORMA: Original
PRODUTOR: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos
DESTINATÁRIO: TAM
TRÂMITE:
- Sonho premonitório
- Confecção da carta
- Envio da carta
- Recebimento da carta pelo destinatário
- Preenchimento do AR pelo destinatário
- Recebimento do AR pelo remetente.
DOCUMENTOS BÁSICOS QUE COMPÕEM O EXPEDIENTE: Carta premonitória e o aviso de recebimento
ORDENAÇÃO: Cronológica
CONTEÚDO:
-PESSOAS: TAM
-LUGARES: São Paulo
-ASSUNTO: Aviso de Recebimento de correspondência
-DATAS:
* Tópica: São Paulo
* Cronológica: 9 de novembro de 2006
SINAIS DE VALIDAÇÃO: Carimbo do cartório nacional validando a entrega do comprovante
ELIMINAÇÃO: Guarda permanente
ACESSO: Aberto.

Análise da Carta de Pêsames ao Acidente da AIR FRANCE


FUNDO: Juscelino da Luz
ESPÉCIE: Carta
DENOMINAÇÃO: Carta de pêsames
DEFINIÇÃO: Carta produzida com a finalidade de declarar os pêsames relacionados a algo triste que possa ter ocorrido.
CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO: 110
CLASSE: Textual
SUPORTE: Papel
FORMATO: folha avulsa (A4)
FORMA: Original
PRODUTOR: Juscelino da Luz
DESTINATÁRIO: Air France – Diretoria Geral
TRÂMITE:
- Acidente
- Confecção da carta
DOCUMENTOS BÁSICOS QUE COMPÕEM O EXPEDIENTE: Carta de pêsames
ORDENAÇÃO: Por assunto
CONTEÚDO: 
- PESSOAS: Juscelino da Luz
- LUGARES: Águas de Lindóia - SP
- ASSUNTO: Manifesta os pêsames em relação ao acidente com aeronave da Air France, esclarece as reais causas do acidente e aponta os procedimentos necessários para que não mais ocorram acidentes desse tipo.
- DATAS:
* Tópica: Águas de Lindóia
* Cronológica: 04 de junho de 2009
SINAIS DE VALIDAÇÃO: Carimbo do Tabelião de Notas e Protestos
ELIMINAÇÃO: Guarda Pemanente
ACESSO: Aberto.

Vídeos

Loading...